13 de agosto de 2012


 IGREJA CELEBRA DIA DE IRMÃ DULCE, ANJO BOM DO BRASIL

Irmã Dulce conheceu o Papa João Paulo II e Madre Tereza de Calcutá
Nesta segunda-feira, 13, a Igreja celebra a festa litúrgica em memória de Irmã Dulce, que foi beatificada em 22 de maio de 2011. Em Salvador, os fiéis se reúnem em uma Missa logo mais, às 10h, que será presidida pelo arcebispo de Salvador e Primaz do Brasil, Dom Murilo Krieger. Já às 14h acontece a Ciranda da Fé, que será animado pelo padre Lázaro Muniz, e às 17h a Missa dos devotos.
As comemorações em homenagem à Bem Aventurada Dulce dos Pobres começaram no início do mês, com uma novena que se seguiu até este domingo, 12, sempre às 19h30, no Santuário Nossa Senhora da Imaculada Conceição da Mãe de Deus. Nesses 13 dias, a Capelania das Obras Sociais Irmã Dulce (OSID) oferece visitas às relíquias do memorial e Celebrações Eucarísticas. 

                                                  
                  O testemunho deixado pela beata fortalece a fé de cristãos

A festa deste ano traz como tema “A exemplo da Bem-aventurada Dulce dos Pobres queremos reavivar a nossa fé em Cristo”. Para o responsável pela Igreja da Imaculada Conceição da Mãe de Deus, padre Alberto Montealegre, a festa deste ano servirá para sedimentar ainda mais a devoção à Irmã Dulce no coração dos católicos, além de tornar o seu exemplo de fé e amor mais conhecido pelos fieis. 
 
                                                             ANJO BOM DO BRASIL

Dona de um olhar meigo, passos suaves e um corpo frágil, Irmã Dulce conquistou o amor do povo baiano. Foi pequena na estatura, mas era capaz de ser tornar gigante para amparar aqueles que mais necessitavam. Os que a procuravam, crianças e idosos abandonados, doentes, pessoas sem esperança, sempre encontravam nela uma palavra amiga e um gesto concreto de amor.

Milhares são os testemunhos dos que tiveram a oportunidade de estar com ela. Além do testemunho, a obra deixada pelo Anjo Bom fala por si só. O Hospital Santo Antônio, no Largo de Roma, construído num espaço que abrigava galinhas, atende diariamente mais de cinco mil pessoas. Esta é uma prova concreta de que é possível cumprir o mandamento do amor ao próximo nos dias de hoje.


“Irmã Dulce representa para comunidade um símbolo de fé e esperança. Já que, apesar das suas limitações, conseguiu superar as dificuldades e fazer o que fez, tudo por meio da fé. Gostaria de dizer aos fiéis da Bem-aventurada Dulce dos pobres que sigam o seu exemplo de fé, esperança e caridade, já que o anjo bom do Brasil com a sua vida nos ensina que através da fé podemos fazer tudo e vencer tudo”, diz padre Alberto.


 
Irmã Dulce conheceu o Papa João Paulo II e Madre Tereza de Calcutá

 

Nenhum comentário:

Postar um comentário