31 de outubro de 2012

RECÍRIO ENCERRA AS FESTIVIDADES DE NOSSA SENHORA DE NAZARÉ


Foto: João Paraense

“Eu sou de lá, Terra onde o outubro se desdobra sem ter fim, Onde um só dia vale a vida que eu vivi. Domingo Santo que não posso descrever. Pois há de ser mistério agora e sempre...”. E com essa música de autoria do Pe. Fábio de Melo, cantada por Fafá de Belém, mais um Círio se encerra. O 220° Círio de Nazaré. Mais de 50 mil fiéis acompanharam na manhã de hoje, 29, a última das 11 procissões da quadra nazarena, o Recírio.
Visivelmente emocionados, fiéis puderam presenciar a subida da Imagem Original de Nossa Senhora de Nazaré ao Glória do Altar-Mor, onde fica até a programação do próximo ano.
A Imagem é a mesma encontrada pelo caboclo Plácido, às margens do Rio Murucutu. Fora o período do Círio, a Imagem só desce do Glória quando se comemora o aniversário de elevação da Basílica à Santuário, no mês de maio.
Após a subida da imagem, o Arcebispo Metropolitano de Belém, Dom Alberto Taveira, celebrou a missa do Recírio, às 6h, na Praça Santuário. Durante o trajeto do Recírio, a Imagem Peregrina da Virgem de Nazaré foi conduzida por um percurso de 650 metros. É o menor trajeto entre as 11 romarias oficiais. A procissão contornou a Praça Santuário, seguindo pelas avenidas Generalíssimo Deodoro, Nazaré e Magalhães Barata até chegar à Capela do Colégio Gentil Bittencourt. O percurso foi cumprido em cerca de 45 minutos e, segundo estimativas do Dieese no Pará e da Diretoria da Festa de Nazaré, reuniu aproximadamente 50 mil pessoas.
Num percurso de 650 metros, a Imagem Peregrina foi saudada e aclamada pelos fiéis. E mais uma vez o Círio de Nazaré 2012 encerrou, marcado por fé e devoção. E há quem já está ansioso pelas festividades do próximo ano.
A Festa de Nazaré é uma realização da Arquidiocese de Belém, Basílica Santuário de Nazaré, Diretoria da Festa de Nazaré, Governo do Estado do Pará e Prefeitura de Belém.
História - A primeira procissão do Recírio remonta à metade do século XIX, mais precisamente o ano de 1859. Antigamente, o Recírio era feito no domingo à tarde com a volta da Imagem para a Capela do Palácio do Governo, fato já relatado em 1859. Ainda conhecido como 'Último Ato da Festividade Nazarena', ao chegar na Praça em frente ao Palácio, a procissão era encerrada com uma missa e com o disparo de fogos de artifício. Atualmente, após a missa no Altar Monumento, leva-se à Imagem para a Capela do Colégio Gentil Bittencourt. O grande final da última procissão é marcado pelo aceno dos lenços brancos e pela forte oração em grupo da Guarda de Nazaré, nas escadarias do Colégio Gentil.
Imagem - A Imagem encontrada por Plácido tem 28 centímetros de altura e fica no Glória, sobre o Altar-mor da Basílica Santuário de Nazaré, numa redoma de cristal antiprojétil. Reproduz uma senhora portuguesa e, nas nuvens onde repousa, pode-se ver um rostinho de anjo. Traz no braço esquerdo um menino aparentando dois anos de idade, que carrega um globo.

Nenhum comentário:

Postar um comentário