28 de fevereiro de 2013

ÁREA PASTORAL LEMBRA COMUNIDADE SOBRE PERÍODO DA “SÉ VACANTE”


A Área Pastoral de Nossa Senhora de Nazaré (Parazinho e Pedra Grande) lembrou hoje a comunidade Parazinhese o momento que iniciou a “Sé Vacante”. Às 16:00 horas a Igreja Matriz de Nossa Senhora de Nazaré, repicou seus sinos e logo em seguida o Pe. Ivanilson Alexandrino fez o hasteamento das bandeiras do vaticano, Área Pastoral e também do município. Este ato servirá para lembra a todos a comunhão e a unidade que é a Igreja no mundo e o período que a Igreja Católica Apostólica Romana passa sem um Sumo Pontífice.

Por todo período da “Sé Vacante” será tocado os sinos 3(três) vezes ao dia, às 06:00 horas da manhã, às 12:00 meio dia e às 18:00 horas da noite.

Vamos nos unir em oração, pela saúde do PAPA emérito e pelo seu sucessor, o sucessor de São Pedro.

Pe. Ivanilson Hasteando as Bandeiras
Bandeiras hasteadas

PORTAS FECHADAS: ATO SIMBÓLICO DÁ INÍCIO À SÉ VACANTE


A Sé Apostólica está vacante. Às 20hs de Roma (16hs em Brasília) a Igreja entrou no período de vacância. A partir de agora, Bento XVI, o Papa emérito, não é mais o Pontífice da Igreja Católica e o trono de Pedro está vazio.

Em Castel Gandolfo, o momento foi simbolizado pelo som das badaladas dos sinos e o fechamento da porta da residência pontifícia. Os fiéis presentes gritavam "Viva o Papa", enquanto se fechavam as portas.

Outra ação marcante foi a ausência da Guarda Suíça: os oficiais recuaram as armas e deixaram a proteção do Papa. A segurança do local onde está Bento XVI será feita, a partir de agora, por uma guarda italiana.

A página oficial do Vaticano na internet foi alterada também às 16hs. No lugar da imagem de Bento XVI está agora escrito: "Apostolica Sedes Vacans" - A Sé Apostólica está vacante.

Padre Francisco Fernandez, brasileiro residente em Roma, relata o clima entre os religiosos nesse momento: "Aqui em nossa casa (Colégio Sacerdotal João Paulo II), há um clima de serenidade e aparente normalidade. Cada um, se interrogado pessoalmente, falará de um certo aperto no coração. Não é fácil para nós padres vermos a partida de um Papa de tamanha grandeza. Bento XVI nos deixa escrita uma página de Evangelho vivido. Talvez a palavra que melhor expresse o momento seja, de fato, aquela mais usada pelo Santo Padre esses dias: obrigado!".
 
Nos próximos dias os cardeais se reunirão para definir a data do conclave.

Fonte: Canção Nova Notícias / Foto: AP

CONFIRA A ÍNTEGRA DAS PALAVRAS DE BENTO XVI AOS CARDEAIS NA MANHÃ DESTA QUINTA-FEIRA, 28-02-2013

 
Venerados e queridos irmãos!

Com grande alegria vos acolho e dirijo a cada um de vós a minha cordial saudação. Agradeço ao cardeal Angelo Sodano que, como sempre, soube fazer-se intérprete dos sentimentos de todo o colégio: 'Cor ad cor loquitur'. Obrigado, eminência, de coração. E gostaria de dizer - retomando a experiência dos discípulos de Emaús - que também para mim foi uma grande alegria caminhar convosco nestes anos, na luz da presença do Senhor ressuscitado.

Como disse ontem diante de milhares de fiéis que lotaram a praça São Pedro, a vossa proximidade e o vosso conselho foram de grande ajuda no meu ministério. Nestes oito anos, vivemos com fé momentos belíssimos de luz radiante no caminho da Igreja, junto a momentos nos quais algumas nuvens pairavam no céu. Procuramos servir Cristo e a sua Igreja com amor profundo e total, que é a alma do nosso ministério. Demos esperança, aquela que vem de Cristo, que somente pode iluminar o caminho. Juntos podemos agradecer ao Senhor que nos fez crescer na comunhão, e juntos rezar para que vos ajude a crescer ainda nesta profundidade, de forma que o colégio de cardeais seja como uma orquestra, onde a diversidade - expressão da Igreja universal - contribua sempre para uma maior concórdia e harmonia.

Gostaria de deixar-vos um pensamento simples, que tenho muito no coração: um pensamento sobre a Igreja, sobre o seu ministério, que constitui para todos nós, podemos dizer, a razão e a paixão da vida. Deixo-me ajudar por uma expressão de Romano Guardini, escrita propriamente no ano em que os padres do Concílio Vaticano II aprovavam a Constituição 'Lumen Gentium', no seu último livro, com uma dedicação pessoal também para mim; por isso as palavras deste livro são pra mim particularmente queridas. Diz Guardini: a Igreja "não é uma instituição concebida e construída em cima de uma mesa..., mas uma realidade viva... Ela vive ao longo do curso do tempo, em andamento, como cada ser vivo, transformando-se... Contudo na sua natureza permanece sempre a mesma, e o seu coração é Cristo". Foi a nossa experiência, ontem, parece-me, na praça São Pedro: ver a Igreja que é um corpo vivo, animado pelo Espírito Santo e vive realmente da força de Deus. Ela está no mundo, mas não é do mundo: é de Deus, de Cristo, do Espírito. Vimos isso ontem. Por isto é verdadeira e eloquente outra famosa expressão de Guardini: "A Igreja se desperta nas almas". A Igreja vive, cresce e se desperta nas almas, que - como a Virgem Maria - acolhem a Palavra de Deus e a concebem por obra do Espírito Santo; oferecem a Deus a própria carne e, propriamente na sua pobreza e humildade, tornam-se capazes de dar à luz a Cristo hoje no mundo. Através da Igreja, o Mistério da Encarnação permanece presente para sempre. Cristo continua a caminhar nos tempos e em todos os lugares.

Permaneçamos unidos, queridos Irmãos, neste Mistério: na oração, especialmente na Eucaristia cotidiana, e assim sirvamos à Igreja e toda a humanidade. Esta é a nossa alegria, que ninguém pode nos tirar.

Antes de saudar-vos pessoalmente, desejo dizer-vos que continuarei a ser próximo na oração, especialmente nos próximos dias, a fim de que estejam plenamente dóceis à ação do Espírito Santo na eleição do novo Papa. Que o Senhor vos mostre aquilo que é desejado por Ele. E entre vós, entre o colégio cardinalício, há também o futuro Papa ao qual já hoje prometo a minha incondicional reverência e obediência. Por isto, com afeto e reconhecimento, concedo-vos de coração a benção apostólica.

BENEDICTUS PP XVI

Sala Clementina do Palácio Apostólico - Vaticano
Quinta-feira, 28 de fevereiro de 2013
 
 
Da redação do Portal Ecclesia

27 de fevereiro de 2013

BENTO XVI: "AMAR A IGREJA É TER A CORAGEM DE TOMAR ATITUDES DIFÍCEIS"

Na amanhã desta quarta-feira, 27, a Praça de São Pedro, no Vaticano, recebeu cerca de 150 mil fiéis para a última audiência geral do pontificado de Bento XVI. 
 
Peregrinos da diocese de Roma e de várias nacionalidades despediram-se do Papa em um encontro emocionante. O Santo Padre chegou para audiência passeando entre os fiéis passeando pelo Papamóvel acenando para os presentes. Na ocasião, Bento XVI chegou até a receber algumas crianças e os beijou em demonstração de benção e carinho. 


Cardeais, bispos e membros da Cúria Romana manifestaram seu apreço ao Pontífice em várias línguas e em seus discursos expressão de grande gratidão ao Papa pelo serviço prestado à Igreja.

Ao falar a multidão que acompanhava, o Papa Bento XVI agradeceu a presença dos fiéis e disse está emocionado. "Neste momento, existe em mim uma grande confiança. Todos sabemos que a palavra do evangelho é a força da Igreja, é a sua vida" disse o Santo Padre

Sorridente e entre aplausos Bento XVI destacou a importância da data afirmando que "hoje é um dia cheio de agradecimento a Deus, que nunca nos deixou faltar sua luz e seu amor.” Afirmou que o “papa não está sozinho na guia do barco de Pedro, ainda que esta seja sua primeira responsabilidade. O Papa não está sozinho, ele pertence a todos” e disse que nunca se sentiu sozinho ao levar a alegria e o peso do Ministério Petrino.

"Nestes últimos meses, senti que minhas forças tinham diminuído e pedi a Deus que me iluminasse com sua luz para que eu tomasse a decisão correta não para o meu próprio bem, mas para o bem da Igreja [...] Amar a Igreja é ter a coragem de tomar atitudes difíceis" ressaltou o Papa.

No final da audiência, Bento XVI orou com os fiéis o Pai-Nosso em latim e abençoou os presentes estendendo a bênção a seus familiares, doentes, e objetos. Após a bênção apostólica ovacionado pela multidão, o Papa deixou a Praça de São Pedro. (Jefferson Souza)

Da redação do Portal Ecclesia.

26 de fevereiro de 2013

PARÓQUIA SANTA RITA DE CASSIA EM SANTA CRUZ, REALIZA HORA SANTA

O PAPA CONTINUARÁ A SER CHAMADO DE “SUA SANTIDADE BENTO XVI”

O diretor da Sala de Imprensa da Santa Sé, Padre Federico Lombardi, realizou na manhã desta terça-feira, 26 de fevereiro, mais uma coletiva de imprensa, em que esclareceu algumas das muitas dúvidas dos jornalistas.

O Papa continuará a ser chamado de “Sua Santidade Bento XVI” / Arqrio

Uma delas é sobre como Bento XVI será chamado a partir do dia 28 de fevereiro. O diretor respondeu que continuará a ser chamado de “Sua Santidade Bento XVI”, mas também será chamado “Papa Emérito” ou “Romano Pontífice Emérito”.

Sobre as vestes: branca, simples, sem mantelete. Não são mais previstos os sapatos vermelhos.

Parece que o Papa ficou muito satisfeito com os sapatos que lhe presentearam no México, em Leon, disse Padre Lombardi.

Não usará mais o anel do pescador, para o qual o Camerlengo, com o decano, darão o fim que a Constituição prevê.

Sobre o dia de hoje, o Papa o transcorrerá em oração e preparação para a transferência para Castel Gandolfo.

Para a Audiência Geral de quarta-feira foram distribuídos 50 mil bilhetes. Prevê-se o mesmo esquema: um amplo giro com o papamóvel. Não terá lugar o “beija-mão” – este será feito após a Audiência Geral, na Sala Clementina, para algumas autoridades, como o Presidente da Eslováquia, o Presidente da região da Baviera.
Quinta-feira, às 11h, haverá a saudação aos Cardeais, com o discurso do Decano no início. Às 16h55min (hora local), a partida de carro do pátio de São Dâmaso, saudação dos superiores. No heliporto, haverá a saudação do Cardeal Decano. Às 17h15min, a chegada a Castel Gandolfo, onde estarão presentes o Bispo de Albano e outras autoridades. Às 17h30min, no Pátio interno o Papa saúda os fiéis – a última saudação pública do Santo Padre. Às 20h, a Guarda Suíça, fecha a porta do Palácio Apostólico, encerrando o serviço para o Papa como chefe da Igreja.

* Foto: Rádio Vaticano

PASCOM PREPARA CORRESPONDENTES PARA O RITMO PASTORAL

A coordenação arquidiocesana da Pastoral da Comunicação reunirá os correspondentes do Programa radiofônico Ritmo Pastoral, dia 9 próximo, das 8 às 12 horas, no Centro Pastoral Pio X - subsolo da Catedral Metropolitana. Na ocasião, haverá uma momento de formação sobre radiojornalismo, com a jornalista e radialista, Luiza Gualberto. A segunda parte do encontro será reservada para as orientações sobre a participação dos correspondentes, no programa.

O Ritmo Pastoral, o informativo da Arquidiocese de Natal, é levado ao de segunda a sábado, pela Rádio Rural de Natal AM 1090. De segunda a sexta-feira, é levado ao ar das 13h30 às 14 horas, e conta com a participação do Monsenhor Lucas Batista Neto, que lê e comenta o Evangelho do dia, e dos correspondentes das paróquias. Aos sábados, o programa vai ao ar das 7 às 7h30, com a produção e apresentação dos seminaristas Antônio Roberto e Rodrigo Paiva.

"Os correspondentes são, em geral, agentes da Pascom que participam do Ritmo Pastoral, por telefone, uma vez por semana, para divulgar as notícias de suas respectivas paróquias", comenta Cacilda Medeiros, da coordenação arquidiocesana da Pascom e uma das apresentadoras do programa. Atualmente, o programa conta com a participação de 29 correspondentes.

O encontro, no dia 9, também é aberto para as Paróquias que ainda não participam do Ritmo Pastoral. A coordenação arquidiocesana pede apenas que confirmem presença, os veteranos e os novos correspondentes, até o dia 5, pelo telefone 3615-2800 ou pelo e-mail pascom@arquidiocesedenatal.org.br.

Em julho do ano passado, a convite da Irmã Élide Fogolari, assessora da Comissão Episcopal Pastoral para a Comunicação, da CNBB, a coordenação arquidiocesana da Pascom apresentou a experiência do Programa Ritmo Pastoral, no 3º Encontro Nacional da Pascom, realizado no Santuário de Aparecida, na cidade de Aparecida (SP).

 Foto: Cacilda Medeiros
Correspondentes do Ritmo Pastoral, durante encontro de formação, em 2012

Fonte: Arquidiocese de Natal

25 de fevereiro de 2013

PAPA PUBLICA DOCUMENTO QUE PERMITE ANTECIPAR O CONCLAVE

Bento XVI deixa ao colégio de cardeais a possibilidade de antecipar o início do conclave se constar a presença de todos os cardeais eleitores, bem como de prolongar.



PapaBentoconclave25022013
 
O boletim da Santa Sé publicou, nesta segunda-feira, 25, a carta apostólica em forma de Motu Proprio (de iniciativa própria) do Papa Bento XVI com algumas modificações relativas à eleição do Papa. Entre as alterações, está a possibilidade, facultada aos cardeais, de antecipar o conclave.
 

No Motu Proprio, ficou estabelecido que "do momento no qual a Sé Apostólica esteja legitimamente vacante, deve-se esperar por 15 dias completos os ausentes antes de iniciar o conclave". O Papa deixa ao colégio de cardeais a possibilidade de antecipar o início do conclave se constar a presença de todos os cardeais eleitores, bem como de prolongar, se houver motivos graves, o início da eleição por alguns dias. Passados, porém, ao máximo 20 dias do início da Sé vacante, todos os cardeais eleitores presentes devem proceder com a eleição.

Também foram especificadas as normas para o sigilo do conclave: "Todo o território da Cidade do Vaticano e também a atividade ordinária dos escritórios estabelecidos no seu escopo deve ser ajustada para esse período, de modo a assegurar a confidencialidade e o livre desenvolvimento de todas as operações relacionadas com a eleição do Sumo Pontífice".

Em relação ao sigilo, também ficou estabelecido que deve ser providenciado, com a ajuda dos prelados clérigos da câmara, que os cardeais eleitores não sejam abordados por ninguém durante o percurso da Casa Santa Marta, local onde ficam hospedados os cardeais, até o Palácio Apostólico Vaticano.

Caso o sigilo absoluto de questões relacionadas ao conclave seja violado, isso implicará excomunhão.

Quanto à eleição do novo Pontífice, o Papa estabelece que sua validade estará sujeita à obtenção de, ao menos, dois terços dos votos, computados com base nos eleitores presentes e votantes.

Caso a eleição não tenha êxito, é estabelecido que seja dedicado um dia à oração, à reflexão e ao diálogo. Na eleição sucessiva, terão voz passiva somente dois nomes que, na votação anterior, obtiveram o maior número de votos. Também para esta votação será necessário obter, ao menos, dois terços de votos dos cardeais presentes e votantes. Nestas votações, os dois nomes já não têm mais voz ativa.
 

Fonte: Canção Nova Notícias
Da redação do Portal Ecclesia.

UNIDOS AO CONCLAVE: JOVENS BRASILEIROS LANÇAM SITE DE ORAÇÕES PELA IGREJA

Segundo os desenvolvedores, "a meta é levar as pessoas à prática da oração e demonstrar publicamente a atenção dos jovens pelos cardeais".


Inspirados nas palavras do Papa Bento XVI, cinco jovens brasileiros lançaram domingo, 24, um site que reúne orações de jovens do mundo inteiro pelo bem da Igreja e de seu futuro líder.

"Confiamos a Igreja aos cuidados de seu maior Pastor, Nosso Senhor Jesus Cristo, e suplicamos a Maria, sua Santa Mãe, que assista com sua materna bondade os padres cardeais ao eleger o novo sumo Pontífice", disse Bento XVI nos últimos dias.

A iniciativa, chamada "Unidos ao conclave", é voltada aos jovens de todo o mundo, e convida a presentear com um ramo 'espiritual' os cardeais eleitores.

O 'ramo espiritual' consiste em oferecer missas, orações, vias-sacras, jejuns e outros sacrifícios a uma pessoa estimada. Segundo Priscila Alvim, 30 anos, o gesto recorda o jovem Juan Diego que ofereceu rosas a bispo Juan de Zumárraga a pedido da Virgem de Guadalupe, Padroeira das Américas.

A iniciativa reforça a importância da oração, especialmente no período da quaresma, tempo perfeito para a oração e penitência, a fim de interceder por nossos cardeais e pelo bem da Igreja.

Como funciona?

Ao acessar o site, o jovem pode se registrar e 'atualizar' seu ramo espiritual, dedicando suas intenções a um cardeal eleitor, escolhido aleatoriamente. No final, todas as orações oferecidas serão levadas aos cardeais, antes da eleição do novo pontífice.

"A meta é levar as pessoas à prática da oração e demonstrar publicamente a atenção dos jovens pelos cardeais", garante Vinicius Andrade, 26 anos. "E difundir a jovialidade da Igreja no ano em que se celebra a JMJ no Rio de Janeiro".

O site está disponível em português, espanhol e inglês: www.1conclave.com.

Fonte: Rádio Vaticano
Da redação do Portal Ecclesia.

24 de fevereiro de 2013

PAPA NO TWITTER: @PONTIFEX FICARÁ SUSPENSO ATÉ A ELEIÇÃO DO NOVO PONTÍFICE

"Neste momento particular, peço-vos que rezeis por mim e pela Igreja, confiando sempre na Providência de Deus", escreveu Bento XVI no Twitter.

 


O Pontifício Conselho das Comunicações Sociais informou que o perfil do Papa no Twitter, @pontifex, ficará suspenso durante todo o período da Sé vacante, ou seja, depois das 20hs do dia 28 de fevereiro até a eleição do novo Pontífice.

O Secretário do Pontifício Conselho, monsenhor Paul Tighe, recorda que este perfil foi criado para uso exclusivo do Papa e que o novo Pontífice utilizará esta rede social se considerar oportuno.

Neste domingo, 24, dia em que o Papa Bento XVI rezou o último Angelus de seu pontificado, a rede social foi usada pelo Pontífice para divulgar a seguinte mensagem: "Neste momento particular, peço-vos que rezeis por mim e pela Igreja, confiando sempre na Providência de Deus".

O perfil do Papa no Twitter foi inaugurado em 12 de dezembro passado, e está disponível em nove línguas: latim, português, inglês, espanhol, italiano, francês, alemão, polonês e árabe.

Quase três milhões de pessoas seguem Bento XVI, sendo que os seguidores em português são hoje mais de 88 mil e 400.

Fonte: Canção Nova Notícias
Da redação do Portal Ecclesia.

BENTO XVI NO ÚLTIMO ANGELUS : “NÃO ABANDONO A IGREJA”

papaangelus24.02.2013
“Não abandono a Igreja, pelo contrário. Continuarei a servi-la com a mesma dedicação e o mesmo amor”: palavras de Bento XVI pronunciadas em seu último Angelus como Pontífice, neste domingo, 24 de fevereiro.

O Senhor me chama a "subir o monte”, para me dedicar ainda mais à oração e à meditação. Mas isto não significa abandonar a Igreja, ao contrário, se Deus me pede isso é precisamente para que eu possa continuar a servi-la com a mesma dedicação e o mesmo amor com o qual eu fiz até agora, mas de um modo mais adequado à minha idade e às minhas forças.

A Praça S. Pedro estava lotada este domingo para este evento histórico. Faixas e cartazes em várias línguas demonstraram o carinho dos fiéis. A Praça desde as primeiras horas da manhã aos poucos foi sendo tomada por religiosas, sacerdotes, turistas, mas principalmente por famílias com crianças e muitos jovens.

Ao meio-dia, assim que a cortina da janela de seus aposentos se abriu, Bento XVI foi aclamado pela multidão.

Comentando o Evangelho da Transfiguração do Senhor, o evangelista Lucas ressalta o fato de que Jesus se transfigurou enquanto rezava: a sua é uma experiência profunda de relacionamento com o Pai durante uma espécie de retiro espiritual que Jesus vive sobre um alto monte na companhia de Pedro, Tiago e João.

Meditando sobre esta passagem do Evangelho, explicou o Pontífice, podemos tirar um ensinamento muito importante. Antes de tudo, a primazia da oração, sem a qual todo o trabalho de apostolado e de caridade se reduz ao ativismo. Na Quaresma, aprendemos a dar o justo tempo à oração, pessoal e comunitária, que dá fôlego à nossa vida espiritual. Além disso, a oração não é um isolar-se do mundo e de suas contradições.

A existência cristã – disse o Papa, citando sua Mensagem para a Quaresma –, consiste num contínuo subir o monte do encontro com Deus, para depois descer trazendo o amor e a força que dele derivam, a fim de servir nossos irmãos e irmãs com o mesmo amor de Deus.

“Queridos irmãos e irmãs, esta Palavra de Deus eu a sinto de modo particular dirigida a mim, neste momento da minha vida. O Senhor me chama a "subir o monte”, para me dedicar ainda mais à oração e à meditação. Mas isto não significa abandonar a Igreja, ao contrário. Se Deus me pede isso, é precisamente para que eu possa continuar a servi-la com a mesma dedicação e o mesmo amor com o qual eu fiz até agora, mas de um modo mais adequado à minha idade e às minhas forças.”

Na saudação em várias línguas, Bento XVI falou também em português: “Queridos peregrinos de língua portuguesa que viestes rezar comigo o Angelus: obrigado pela vossa presença e todas as manifestações de afeto e solidariedade, em particular pelas orações com que me estais acompanhando nestes dias. Que o bom Deus vos cumule de todas as bênçãos”.

Fonte: CNBB

23 de fevereiro de 2013

CÚRIA ROMANA ENCERRA EXERCÍCIOS ESPIRITUAIS DA QUARESMA

O Papa Bento XVI e a Cúria Romana encerraram hoje, 23, os exercícios espirituais da Quaresma, iniciados no último domingo, 17, no Vaticano. Em suas palavras de conclusão, Bento XVI agradeceu aos cardeais pelo apoio e presença durante os oito anos de pontificado. O Pontífice também ressaltou a beleza e profundidade da proposta oferecida pelo Cardeal Gianfranco Ravasi que pregou aos cardeais, durante o retiro.

Com uma palavra de motivação, o Santo Padre conclui o agradecimento: "Nesta certeza prosseguimos, certos da vitória de Deus, certos da verdade da beleza e do amor. Obrigado a todos vocês.”

22 de fevereiro de 2013

O APLAUSO MAIS LONGO DA HISTÓRIA PARA DESPEDIR DE BENTO XVI

Jovens católicos da Espanha lançaram uma campanha para obter o aplauso mais longo da história em honra ao Papa Bento XVI e estabelecer um novo recorde Guinnes.
Foto: Gregorio Borgia
Um grupo de jovens católicos espanhóis lançou uma campanha para obter o aplauso mais longo da história em honra ao Papa Bento XVI e estabelecer um novo recorde Guinnes.

A iniciativa tem como objetivo agradecer ao Santo Padre pelo trabalho desempenhado durante seus quase 8 anos de pontificado com um aplauso que proceda dos cinco continentes.

Os organizadores animam aos jovens de todo o mundo a gravar seus aplausos em vídeo e enviá-los por correio eletrônico para estabelecer uma marca de 90 minutos e superar o recorde no Guinness do aplauso mais longo da história, que atualmente se posiciona nos 80 minutos.

"Com seu próprio celular você pode gravar um gesto histórico. Jovens, menos jovens. Sadios. Doentes. Religiosos. Leigos. Católicos e não católicos. Famosos e anônimos. Ricos e pobres. Todos", convidam os organizadores no seu site.

Os jovens explicam que a ideia surgiu a partir da renúncia do Papa ao trono de Pedro. "Os que estamos agradecidos por seu pontificado e por ter dado o sangue pela Igreja, queremos ter com ele um gesto de agradecimento", explicam.

O objetivo final é que o Santo Padre veja um vídeo com a soma de todos os aplausos. O próximo 28 de fevereiro, coincidindo com o fim do seu pontificado, os responsáveis o enviarão ao Papa ao seu perfil do Twitter, @Pontifex_pt.

"Une-te e passe adiante: um aplauso de 90 minutos de agradecimento", é o seu lema.

Para somar-se a esta iniciativa, explicam, é necessário enviar um vídeo com um "aplauso sincero", ao e-mail elaplausomaslargo@gmail.com.

Pode procurar mais informação em elaplausomaslargo.blogspot.com, ou no Twitter, no perfil @aplausoBXVI, ou mediante o hashtag "#elaplausomaslargo".

Fonte: ACI Digital

IGREJA CELEBRA FESTA DA CÁTEDRA DE SÃO PEDRO, QUE FICARÁ VAZIA NO DIA 28 DE FEVEREIRO

A "cátedra" literalmente quer dizer a sede fixa do bispo, localizada na Igreja mãe de uma diocese que, por este motivo, é chamada "catedral".

 
Foto: L'Osservatore Romano

      Nesta sexta-feira, 22 de fevereiro, a Igreja celebra a festa da Cátedra de São Pedro. Trata-se de uma tradição muito antiga, testemunhada em Roma desde os finais do século IV, que dá graças a Deus pela missão confiada ao apóstolo Pedro e a seus sucessores.

Na basílica de São Pedro, em Roma, encontra-se o monumento à "cátedra" do apóstolo, obra do escultor italiano Gian Lorenzo Bernini, executada em forma de grande trono de bronze, sustentada pelas estátuas de quatro doutores da Igreja, dois do Ocidente, Santo Agostinho e Santo Ambrósio, e dois do oriente, São João Crisóstomo e Santo Atanásio.

Entenda a celebração da Cátedra de São Pedro

Mas por que é celebrada a "cátedra" de Pedro? A ela a tradição da Igreja atribui um forte significado espiritual e reconhece um sinal privilegiado do amor de Deus, Pastor bom e eterno, que quer reunir toda sua Igreja e guiá-la pelo caminho da salvação.

A "cátedra" literalmente quer dizer a sede fixa do bispo, localizada na Igreja mãe de uma diocese que, por este motivo, é chamada "catedral". Ela simboliza a autoridade do bispo e, em particular, de seu "magistério", ou seja, do ensinamento evangélico que ele, enquanto sucessor dos apóstolos, está chamado a transmitir à comunidade cristã.

Qual foi, então, a "cátedra" de São Pedro? Ele, escolhido por Cristo como "rocha" sobre a qual a Igreja seria edificada (cf. Mt 6, 18), começou seu ministério em Jerusalém, depois da ascensão do Senhor e de Pentecostes. A primeira "sede" da Igreja foi o Cenáculo, em Jerusalém. É provável que naquela sala, onde também Maria, a Mãe de Jesus, rezou junto aos discípulos, se reservasse um posto especial a Simão Pedro.

Em seguida, a sede de Pedro foi Antioquia, cidade situada no rio Oronte, na Síria, hoje Turquia. Naqueles tempos era a terceira cidade do Império Romano depois de Roma e de Alexandria do Egito. Daquela cidade, evangelizada por Barnabé e Paulo, onde "pela primeira vez os discípulos receberam o nome de 'cristãos'" (Atos 11, 26), Pedro foi o primeiro bispo da Igreja.

Depois, a Providência levou Pedro a Roma. Portanto, encontramo-nos com o caminho que vai de Jerusalém (Igreja nascente) a Antioquia (primeiro centro da Igreja, que agrupava pagãos) e também unida à Igreja proveniente dos judeus. Depois, Pedro dirigiu-se a Roma, centro do Império, onde concluiu com o martírio sua carreira ao serviço do Evangelho.

Por esse motivo, a sede de Roma, que havia recebido a maior honra, recebeu também a tarefa confiada por Cristo a Pedro: estar a serviço de todas as Igrejas particulares para a edificação e a unidade de todo o Povo de Deus. A sede de Roma, depois dessas migrações de São Pedro, foi reconhecida como a do sucessor de Pedro, e a "cátedra" de seu bispo representou a do apóstolo encarregado por Cristo de apascentar todo seu rebanho. A cátedra do bispo de Roma representa, portanto, não só seu serviço à comunidade romana, mas também sua missão de guia de todo o Povo de Deus.

Fonte: Rádio Vaticano
Da redação do Portal Ecclesia.

A CÁTEDRA DE SÃO PEDRO FICARÁ VAZIA NO DIA 28 DE FEVEREIRO

No dia 22 de fevereiro a liturgia nos convida a celebrar a Festa da Cátedra de Pedro. Mais do que uma simples "cadeira" ou mesmo um "trono", a palavra "cátedra" indica a autoridade para ensinar.

Quando na Bíblia se diz que alguém "sentou e começou a ensinar" significa que seu ensino é repleto de fundamento e autoridade. Foi assim, por exemplo, no conhecido Sermão da Montanha: "Vendo aquelas multidões, Jesus subiu à montanha. Sentou-se e seus discípulos aproximaram-se dele" (Mt 5,1). Até na linguagem comum se afirma que um professor eficiente é um "catedrático". A igreja onde fica a cátedra do bispo é chamada de "catedral".

Quando a Igreja Católica celebra esta festa, reconhece que entre os doze apóstolos houve um que ocupou o primeiro lugar e que recebeu a missão de confirmar os irmãos na fé (cf. Lc 22, 31-32). Vemos no Evangelho que Pedro sempre encabeça a lista dos apóstolos. Além disso, ele fala com Jesus em nome dos doze, como está no evangelho escolhido para a Missa deste dia: Mateus 16,13-19.


O mestre convida os discípulos para ir até uma região montanhosa chamada "Cesaréia de Felipe". Ali faz uma pergunta intrigante: "Quem dizem por aí que Eu Sou"? As respostas são as mais variadas. Jesus, então, vai além. Pergunta: "E para vocês, quem Eu Sou?" Certamente houve um silêncio e uma troca silenciosa de olhares. Todos se perguntavam: quem terá coragem de dar uma resposta tão pessoal?! Foi Pedro quem tomou a palavra pronunciou a profissão de fé que fez dele o primeiro Papa do Cristianismo: "Tu és o Cristo, o Filho de Deus vivo!"

Conhecemos o que Jesus disse: "Feliz és, Simão, filho de Jonas, porque não foi a carne nem o sangue que te revelou isto, mas meu Pai que está nos céus. E eu te declaro: tu és Pedro, e sobre esta pedra edificarei a minha Igreja; as portas do inferno não prevalecerão contra ela. Eu te darei as chaves do Reino dos céus: tudo o que ligares na terra será ligado nos céus, e tudo o que desligares na terra será desligado nos céus." Foi isso que deu a Pedro a sua “cátedra”, ou seja, autoridade.

Neste ano vivemos esta festa de uma maneira totalmente diferente e inesperada. No dia 11 de fevereiro o Papa Bento XVI, surpreendeu o mundo anunciando a sua renúncia com as seguintes palavras pronunciadas em latim: "[...] a partir de 28 de Fevereiro de 2013, às 20 horas, a sede de Roma, a Cátedra de São Pedro, ficará vacante e deverá ser convocado, por aqueles a quem tal compete, o Conclave para a eleição do novo Sumo Pontífice".

Muito se especulou sobre o motivo de sua renúncia. A melhor explicação, porém, continua sendo a do próprio Papa: “Depois de ter examinado repetidamente a minha consciência diante de Deus, cheguei à certeza de que as minhas forças, devido à idade avançada, já não são idôneas para exercer adequadamente o ministério petrino. Estou bem consciente de que este ministério, pela sua essência espiritual, deve ser cumprido não só com as obras e com as palavras, mas também e igualmente sofrendo e rezando. Todavia, no mundo de hoje, sujeito a rápidas mudanças e agitado por questões de grande relevância para a vida da fé, para governar a barca de São Pedro e anunciar o Evangelho, é necessário também o vigor quer do corpo quer do espírito; vigor este, que, nos últimos meses, foi diminuindo de tal modo em mim que tenho de reconhecer a minha incapacidade para administrar bem o ministério que me foi confiado."

Muito mais do que alinhar-se à avalanche de especulações que a imprensa tem feito em torno da renúncia do Papa, o católico praticante que ama a sua Igreja, neste momento está em comunhão de prece com o Santo Padre. É um momento intenso e tenso, mas Bento XVI disse recentemente que pode sentir a prece e o carinho do povo de Deus "quase fisicamente". É o mistério da Igreja que nos unifica no Corpo Místico de Cristo.

No dia 22 de fevereiro de 2006, o próprio Bento XVI fez uma reflexão sobre o significado da "Cátedra de Pedro". Lembrou tratar-se de uma tradição muito antiga, vivida em Roma deste o século IV. Antes disso, disse o Papa, a “cátedra” foi no Cenáculo, em Jerusalém; depois foi na cidade de Antioquia, na hoje Turquia, onde Pedro foi o primeiro bispo; somente depois a “cátedra” foi transferida para Roma que recebeu a missão de congregar todos os povos da terra.

O Papa evocou numerosos testemunhos de santos e doutores da Igreja para explicar o significado espiritual da “cátedra de Pedro”. Um deles, São Jerônimo, escreve assim: “Decidi consultar a cátedra de Pedro, onde se encontra aquela fé que a boca de um Apóstolo exaltou; agora venho pedir um alimento para a minha alma ali, onde outrora recebi a veste de Cristo. Não busco outro primado, a não ser o de Cristo; por isso, ponho-me em comunhão com a tua bem-aventurança, ou seja, com a cátedra de Pedro. Sei que sobre esta pedra está edificada a Igreja” (Cartas I, 15, 1-2). O Papa terminou esta catequese pedindo que todos rezassem pelo seu ministério de sucessor de Pedro: “[...] invocai o Espírito Santo a fim de que sustente sempre com a sua luz e a sua força o meu serviço quotidiano a toda a Igreja. Por isto, bem como pela vossa atenção devota, agradeço-vos de coração.”

Atendamos a este pedido de Bento XVI, particularmente nesta semana intensa que ele e todos nós viveremos. Neste domingo, dia 24 de fevereiro, ele rezará o último "Angelus" de seu pontificado. Na quarta-feira, dia 27, presidirá a última audiência pública para milhares de peregrinos. No dia 28, pela manhã, saudará pessoalmente todos os cadeais presentes em Roma, sem discursar e, às 17h, irá para seu retiro em Castel Gandolfo, onde ficará até que seja eleito o novo Papa. Neste dia, às 20h, Bento XVI não será mais Papa, viverá silenciosa e intensamente o ministério de intercessor.
 
Padre Joãozinho, scj


Pe. Joãozinho, scj
Teólogo, escritor e compositor
Professor na Faculdade Dehoniana
Twitter: @padrejoaozinho